CRIANÇAS X ANIMAIS – COMO EVITAR ACIDENTES

Sem dúvida a relação de uma criança com seu animal de estimação pode ser das mais puras e belas,mas nem por isso podemos subestimar a capacidade de uma criança machucar o bichinho e vice versa. É neste momento que se torna fundamental a presença do adulto para orientar esta amizade.
A estatística mostra que,crianças são as maiores vítimas de mordidas dos cães (não duvido de arranhões e mordidas dos gatos também).

De acordo com levantamento da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, as crianças e os adolescentes representam 42,8% dos atacados por cães no Estado. “Muitas crianças tratam o cachorro como um bichinho de pelúcia, elas gostam de apertar, mas o animal não gosta. Isso pode provocar um ataque”, afirma Ana Beatriz Bontorim, coordenadora da ORG Criança Segura.




O levantamento se baseou em mais 341 mil ataques de cães notificados pelos serviços de saúde entre 2005 e 2009. Ele mostra que crianças que têm entre 5 e 9 anos são as maiores vítimas dos cães. Elas representam 14,8% do total de notificações. “Essa é uma fase de descoberta, as crianças querem testar os limites e às vezes se excedem ao brincar com os animais, por isso é fundamental que os pais orientem as crianças”, diz Ana Beatriz.

O segundo grupo mais afetado é o de crianças
entre 0 e 4 anos que respondem por 10,5% dos ataques. Mas tenha calma, não é preciso afastar seus filhos dos cães, basta tomar algumas precauções para que eles convivam em harmonia. “Os pais devem ensinar as crianças como tratar um animal e não devem permitir que eles brinquem com cachorros desconhecidos.” “



Diante destes fatos separei para vocês um texto excelente,
cheios de dicas práticas colocadas por faixa etária da criança,incluindo 
a apresentação de um bebê.
(Este texto é originalmente escrito para a raça Labrador,mas serve perfeitamente para todo cão)



OS CÃES NÃO SÃO PESSOAS


Os cães têm necessidades diferentes das dos seres humanos.Um elemento importante na vida de um cão é sua necessidade de hierarquia, de reconhecer aquele que é o “chefe da matilha”. Sua família é agora a matilha de seu cão e você e os membros da família devem ser os líderes.Sem esta liderança, seu cão achará que a liderança é dele , agindo de maneira a impor suas regras, o que causará resultados desastrosos. A primeira coisa que você deve fazer é determinar as regras em sua casa, (por exemplo, não pular em pessoas, estragar móveis, etc), estas regras devem ser impostas em conformidade por todos os membros da família, assim o cão saberá o que lhe é permitido e o que não. Se cada um disser uma coisa e não houver conformidade de regras, o seu cão com certeza terá problemas de conduta (o marido diz não e a mulher diz pode fazer). Ensinar regras ao seu cão de maneira firme, porém com amor, fará dele um cão muito obediente.

 próxima coisa a fazer é ensinar disciplina a seu cão, caso você não se sinta capaz, leve-o a um treinador, pois um cão mau comportado vira um problema para você, sua família e amigos. Você não pode controlar seu cão se ele não souber ou não obedecer a comandos básicos de obediência. Hoje em dia no mercado é possível encontrar livros e vídeos que nos ensinam a treinar nosso cão, e a ensinar aos comandos mais básicos para ele. A vida será mais fácil, com um animal obediente.
Crianças com menos de 2 anos

As crianças com menos de 2 anos, não estão cientes do cão como uma presença real.. Embora possam falar ao cão e o chamar pelo nome, o cão não significa mais do que um animado bicho de pelúcia. Nesta idade o cão considera a criança um filhote como ele. E brincará com a criança da mesma forma que com outros filhotes. Você deve ensinar a criança a respeitar o cão, e o cão a comportar-se corretamente com a criança.
A supervisão é imperativa sempre que uma criança e um cão estão juntos. Recompense seu cão com elogios quando ele tolerar as brincadeiras das crianças, como puxar, apertar e acarinhar. Mas ensine as crianças a não machucar o cãozinho e fazer brincadeiras adequadas. Separe a criança e o cão se a brincadeira tornar-se incômoda para alguma das partes ou se você notar que o cão está ficando cansado ou desconfortável.

Não abandone seu amigão no jardim de trás da sua casa. Ele é um membro da família e merece e necessita estar com você. Os problemas do comportamento não serão corrigidos barrando o cão de casa. Separe um tempo para estar com seu cão todos os dias, para brincar e dar atenção a ele, mesmo que seja apenas um passeio ao redor do quarteirão.

Permita ao cão se aproximar do berço da criança e ficar por perto. Ensine-o a estar por perto e manter-se deitado ou sentado enquanto você estiver ocupado. Mantê-los afastados do berço ou do quarto da criança só irá gerar uma situação de ciúmes.
Crianças dos 2 aos 7 anos

Nesta idade, as crianças vêem o cão como um amigo às vezes e um incômodo em outras vezes. O cão vê ainda a criança como um filhote. Você deve estar preparado para intervir com uma criança que esteja abusando do cão (puxar o pêlo, a orelha, etc) O cão deve tolerar um pouco destas brincadeiras, mas não espere que o cão se transforme em um bicho de pelúcia que possa ser “esmagado”.

Ensine a criança que os jogos apropriados como “busca” e “esconda e procure” devem ser usados para brincar com o cão .Os jogos devem evitar brutalidades e cabos de guerra, uma vez que estas brincadeiras podem machucar, tanto a criança como o animal. Se as crianças estiverem muito agitadas, gritando, pulando, etc, o peludo provavelmente se sentirá mais confortável num local mais quieto longe de toda a agitação.

Monitore todas as interações entre o cão e sua criança. Mostre à criança como corrigir delicadamente o cão, se a criança tiver idade para compreender, caso ela não possa compreender, você deverá intervir quando o filhote necessitar ser corrigido.

Crianças dos 7 aos 11 anos

Nesta idade as crianças podem começar a mostrar liderança e responsabilidade com seu cão. Esta é uma boa hora para que a criança venha a participar dos cuidados com o animal, (alimentando, andando e treinando). As crianças desta idade podem se tornar instrutores excelentes, sendo geralmente mais consistentes e brincalhonas em seu treinamento.
Inclua sua criança no treinamento dos comandos básicos e veja que bons resultados você vai obter.

Quando as crianças participam da educação e cuidados com o animal, naturalmente elas aprendem a ter responsabilidades, o que será ótimo no seu crescimento e para seu futuro, mas nunca deixe todo o trabalho por conta das crianças, as responsabilidades devem ser atribuídas aos poucos e sempre se certifique que as tarefas estão sendo realizadas corretamente para que seu peludo não seja prejudicado.

Um cão necessita de muito mais tempo e atenção do que uma criança pode dar. Se você não quiser a responsabilidade para o cuidado de um cão, NÃO COMPRE UM CÃO!!!!!


Crianças acima de 11 anos

Nesta idade as crianças podem tornar-se mais interessadas em suas próprias atividades do que no cão. Isto é normal e pode esperar-se. Os adultos devem estar preparados para dar ao cão mais atenção enquanto sua criança começa gastar mais tempo com amigos e atividades sociais.


Introduzindo um bebê novo


Introduzir um bebê novo em uma casa que contenha já um cão é um evento importante para o animal. Estão aqui algumas dicas para fazer o período de introdução e de transição mais fácil.
Enquanto o Bebê ainda não chegou

Consulte seu veterinário e esteja certo que seu peludo está saudável e livre de todos os parasitas Faça um teste e examine como está a obediência do cão em relação aos comandos básicos. O comando o mais importante que seu cão deve obedecer é deita e fica. Isto permitirá que seu cão seja um membro da casa sem ser um incômodo.
Se você tiver um cão extremamente dependente, comece a treinar sua independência aos poucos antes da chegada do bebê, pois um cão muito dependente pode criar problemas depois da chegada do bebê.

Introduza o cão ao quarto, berço e aos sons de um recém-nascido através de fitas gravadas se possível.
Pratique caminhadas com seu cão junto ao carrinho de bebê, este ainda vazio, para que ele aprenda a ser um bom companheiro e a se comportar nos passeios com o bebê
Após a chegada do bebê




Quando o bebê estiver no hospital, envolva-o em uma de suas mantas por pelo menos 30 minutos e depois deixe que o papai a leve para casa para introduzir o cheiro do bebê ao cão.
Quando você chegar com o bebê em casa, deixe seu cão dizer alô primeiro para você. Então se sente com o bebê em seus braços e deixe que o cão sinta seu cheiro e o veja, conversando com o cão com muita calma e carinho.
As primeiras semanas farão parte de um período de transição difícil, tanto para a família como par o animal.
Seja paciente. Dê ao cão uma possibilidade de se acostumar às atividades, cheiros e sons novos em sua casa. Em 2-4 semanas ele deve estar já se sentindo totalmente familiarizado com todas as novidades, voltando a agir de maneira natural de novo.

Nunca deixe seu cão sozinho com o bebê. Lembre, seu cão é um animal e tem instintos e reações que não são as mesmas dos seres humanos. Proteja seu cão da criança quando esta começar a se movimentar pela casa com andadores e coisas do gênero, criando um local seguro fora dos limites do bebê, para seu cão quando este quiser descansar ou ficar sozinho.

Texto extraído do Site www.justlabs.com.br





Esse post foi publicado em Cães e Gatos, Comportamento, Conscientização, Dica. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s