CALO DE APOIO :IMPORTANTE PREVENIR E CUIDAR,VEJA POR QUE.

CALOS OU ESCARAS DE DECÚBITO SÃO LESÕES DE PELE QUE APARECEM COM FREQUÊNCIA EM ANIMAIS DE MEDIO E GRANDE PORTE E QUE NADA MAIS SÃO QUE CALOS DE APOIO CAUSADOS PELO CONTATO DA PELE COM A SUPERFÍCIE DURAS,MAIS COMUMENTE EM COTUVELOS E CALCANHARES


Dois são os principais fatores que levam ao seu aparecimento: O piso e o peso do animal.

Quanto mais rugoso o piso, maior a fricção deste com a pele ao levantar-se ou deitar-se, que leva à perda de pelo ou até destruição dos folículos pilosos nas regiões já citadas, pois para compensar o impacto e a falta de gordura, a pele começa a se espessar nas regiões de contato.
Se não houver ferida no local, a pele do calo deve ser hidratada diariamente com substâncias emolientes, oleosas ou cremosas específicas para calos.
Existem produtos veterinários específicos para este tratamento à base de lanolina, ureia, silicone, óleo mineral, cera de abelha, vaselina entre outros componentes.
Estes compostos tratam os calos prevenindo complicações como a piodermite (inflamação do calo), a fibrose (degeneração e aumento do calo), bicheiras e bernes.
Após a aplicação do produto nas calosidades, distraia seu animal, brincando ou passeando com ele e evitando que o produto seja removido por suas lambidas.
Caso haja ferida, com rachaduras, sangue ou pus, pois em alguns casos a pele pode ressecar a tal ponto que rache e inflame bastante, o animal deve ser encaminhado ao médico veterinário para correta aplicação de anti-inflamatórios e/ou antibióticos.

Outro ponto importante é o peso do animal. Calos ocorrem naturalmente em raças gigantes, como o Fila Brasileiro, Mastin Napolitano e Mastif, de médio porte como o Boxer, o Pointer e o Bull Terrier e até nos de pequeno porte como o Pinscher e o Terrier Brasileiro (Fox Paulistinha). Vale a pena ressaltar que em cadelas gestantes e lactantes a incidência de calos ou escaras aumenta, pois estas passam muito tempo em decúbito.
Quando o animal se deita, seu peso faz com que as pontas dos ossos se atritem com o solo. O piso do canil para cães adultos deve ser macio, de preferência de cimento queimado ou piso antiderrapante (cerâmica ou borracha). Para filhotes, o cimento queimado é desaconselhado por questões de aprumo. A área na qual este animal dorme pode ser forrada com colchonete, estrado de madeira,camas suspensas, grande quantidade de jornal ou papelão, tomando-se cuidado com a destruição e ingestão destes objetos.


(FONTE:http://omelhoramigodohomem.com.br/cuidad​os-para-evitar-ou-tratar-calosidade-em-c​aes/)

*PARA CALOS LEVES NÃO INFLAMADOS,UMA DICA CASEIRA :
(LEMBRE-SE ,ANTES DE APLICAR QUALQUER COISA,SEMPRE CONSULTE O SEU VETERINÁRIO DE CONFIANÇA)
Não esqueça que fazer a limpeza dos calos é uma coisa super importante…
Mixturar Bepantol + Óleo de amêndoa + Hipoglos e aplicar no local

(FONTE: http://www.oocities.org/br/diboajana/cal​os.htm )


COMPLICAÇÕES:

Além de dificultar a movimentação, os calos tendem a desenvolver outros problemas:

Piodermite — inflamação do calo. Libera pus e sangue. O veterinário receita antibiótico.

Fibrose — se, depois de formado, o calo continuar a sofrer alterações sendo comprimido sobre piso inadequado, a pele degenera ainda mais. O calo aumenta e fica mais duro. A indicação é retirá-lo por cirurgia porque não dá mais para tratá-lo.


Higroma — outra possível complicação, se o cão com calo continuar a deitar em piso impróprio, é o acúmulo excessivo de liquído (edema) nas articulações. O veterinário opta por retirar o líquido por meio de punção. Se o líquido estiver infectado (ocorre quando o mal se encontra em fase avançada), é preciso interromper sua produção por meio de uma cirurgia delicada. Se não tratado, o higroma tende a avançar para a perna e causar gangrena e necrose. Para evitar a morte do cão, nesses casos só resta amputar o membro afetado.


Flegmão — o calo inflama e um grande inchaço se forma em torno dele, disseminando-se por todo o membro, devido à formação de uma secreção interna, logo abaixo da pele. Para retirá-la é feita uma drenagem e o cão é tratado com antibiótico e diuréticos. Se não houver tratamento, o mal evolui para gangrena e necrose, exigindo amputação.


Bicheiras e bernes — moscas atraídas pelo pus e sangue das complicações causadas pelos calos depositam ovos sob a pele dos cães. Para tratar é necessário a retirada das larvas, passar cicatrizante e bactericida nas feridas e, para afastar as moscas, usa-se spray repelente.
(Vet. Samir Doumit Chomuni)

Esse post foi publicado em Saúde. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s